Fundado em 16 de abril de 1932

...Macaé, ano I, Nº 30 - 18 a 25 de agosto de 2006
Não perca o Caderno R. Cultura, Educação e Entretenimento. Exclusivo para O Rebate on Line
Colunistas
Adriano Benayon
Almir da Silva Lima
Ana Cristina Gama
Andrei Bastos
Angela Maria
Antonio R. Nóbrega
Carolina Oliveira
Ceci Juruá
Ciro Campelo
Cristina Vieira
Daniel Felipe Matos
Denise Barreto
Denise Calixto
Edson Monteiro
Francisco C. Arduim
Fabiana Madruga
Giulianna Medeiros
José Milbs
Langstain Almeida
Leandro Domingues
Letízia Borges
Lúcio Aguiar
Manoel Barbosa Filho
Marcel Silvano
Mariana Gama Soares
Marly Santiago
Milton Nunes Filho
Moctezuma Pinto
Monique Cruz
Patrick Francisco
Rodrigo Costa
Rui Nogueira
Vanessa Gonçalves
Vera Lúcia Gama
 
Ache seu imóvel!

SOLIDARIEDADE  E    CONVIVÊNCIA NA ESCOLA

Denise Calixto

Defender o papel social, cultural,ético e político da educação,apostar em questões necessárias para a formação de cidadãos conscientes e críticos,devem ser propostas de todos os educadores.Temas como convivência e solidariedade devem ser trabalhados de forma prática.Essas questões normalmente não são abordadas de forma sistematizada dentro do currículo escolar, porém são de extrema necessidade para a construção de cidadãos participantes.

Não importa se você trabalha em uma escola carente de periferia ou numa escola auto-suficiente no centro de uma metrópole, a solidariedade e a convivência são assuntos que devem discutidos e vivenciados em todos os lugares.São assuntos que rendem; rendem boas aulas, boas atitudes, nos enriquecem a alma e a vida.

Se no dia a dia, já encontramos dificuldades em ser solidário, em conviver, porque não aproveitar esses temas para trabalhar alunos e professores, trabalhar toda equipe de uma escola em busca de aprender a arte da solidariedade e da convivência? Através de nossas crianças e jovens, fica muito mais fácil chegar às famílias e chegar principalmente ao coração de todos, cativando e conquistando.Colocar o "dedo na ferida",-pois uma coisa é a teoria e outra é a prática-,na busca incessante de educar para construir antes de tudo,indivíduos melhores, mais conscientes e mais participantes.

O voluntariado é uma ação que proporciona oportunidades para que todos se desenvolvam com cidadãos atuantes, com base em valores humanos.Os alunos participam de atividades além de seu dia-a-dia e de seus interesses individuais, como a preocupação com o próximo e a responsabilidade como cidadão.

É importante trabalhar a parte teórica, buscar mensagens que enfatizem a importância do trabalho voluntário, assistir filmes sobre valores como amor e solidariedade e em sala de aula discutir sobre o que aprendem.Tudo que se conhece sobre voluntariado serve como base para uma discussão ampla, para que seja despertado no aluno o desejo de ser voluntário.A partir de alguns materiais geradores de discussão-como filmes, música, textos, livros e passagens bíblicas-,surgem os debates entre alunos.Questões sociais presentes no dia-a-dia dos envolvidos, também devem ser discutidas a medida que os próprios alunos as levantam numa tentativa de resolve-las.O passo seguinte é a escolha do trabalho a ser desenvolvido por cada uma das turmas, que passa a divulgar o projeto e fazer campanhas de arrecadação de brinquedos, roupas e materiais de higiene, que são distribuídos nos locais mais carentes.Mas a idéia não deve ser apenas a arrecadação de mantimentos mas sim despertar a importância de doar um pouco de seu tempo aqueles que também precisam de um sorriso,de novos amigos.O trabalho voluntário também pode ser desenvolvido em sala de aula com a criação de monitores, ou seja, aqueles alunos que mais se destacam no desenvolvimento intelectual podem ajudar aqueles que tem um desenvolvimento mais lento sem contudo fazer desse aluno um aluno exemplo de sabedoria e sim um aluno exemplo a ser seguido pela sua boa vontade,amor,solidariedade.Seriam estes alunos monitores e multiplicadores do saber e da solidariedade.Durante o ano, pode-se aproveitar as datas comemorativas, tais como Páscoa, Dia das Mães, Festa Junina para a elaboração de campanhas de doação de alimentos, mas também de doação de um momento livre do aluno para dar aqueles carentes de tudo, como velhinhos de um asilo, crianças de um orfanato.Trabalhar a conscientização do aluno par que ele aprenda a dividir, proporcionar alegria,confraternizar e aprender que nem sempre ele é o mais carente,que existem pessoas que precisam mais ainda do que ele. Certa vez observei um comentário de um aluno que me chamou atenção: "-A gente teve contato com outras crianças que pareciam diferentes da gente e no inicio eu estranhei mas depois a gente se divertiu,lanchou junto e descobri que a gente não é diferente mas que eu tenho que valorizar a minha vida porque ela é muito boa e eu nem sabia disso."

O trabalho voluntário deve ser registrado em murais feitos pelos próprios alunos para serem analisados e questionados, para que os próprios alunos possam observar onde devem melhorar.

Voluntariado não é só trabalho assistencial, de apoio aos grupos mais vulneráveis.Inclui múltiplas iniciativas dos indivíduos na área de cultura, defesa dos direitos, meio ambiente, esporte e lazer.

O tema de convivência humana vem atender a demanda atual de promover nas crianças e nos jovens a conscientização sobre o papel de cada um na construção das relações humanas que compõe um grupo social.A iniciativa que começa na escola pode se estender às famílias e à sociedade por meio dos alunos.

Vivemos em uma sociedade na qual a ação solidária é fundamental.Não podemos só esperar ações assistenciais do governo.Devemos plantar a sementinha da solidariedade na escola, fazer com que os estudantes pensem sobre as próprias atitudes e reconheçam os sentimentos que movem as ações.

Denise Calixto Mandaro
Professora Universitária,Educadora e Pedagoga
Email: denisecalixto@uol.com.br


Veja outros artigos de Denise Calixto

Configuração mínima: 800x600. Recomendamos o Mozilla Firefox. Clique aqui para baixar a versão 1.5
Criação e manutenção Artimanha